Auvers-sur-Oise: onde jaz Van Gogh

0 Flares 0 Flares ×

Auvers-sur-Oise é uma cidade linda e pouco conhecida que fica nos arredores de Paris. Vejam por que eu fui até lá.

Foi aqui que Vincent Van Gogh passou seus últimos setenta dias de vida, na primavera de 1890. Mas não foi apenas Van Gogh que esteve por aqui. Essa cidade também atraiu Corot, Cèzanne e Daubigny. Mas o que há de tão interessante nessa cidade? Casas de pedras, flores, árvores frutíferas, silêncio e uma luz incrível. É assim hoje e imagino que já era assim há uns 120 anos. Vejam algumas paisagens de Auvers-sur-Oise:

DSC_0650.jpg DSC_0639.jpg
DSC_0683.jpg DSC_0657.jpg
DSC_0684.jpg DSC_0678.jpg

Até eu fiquei com vontade de pintar depois de ver essas paisagens. Mas não foi apenas a paisagem da cidade que atraiu esses pintores. Pissarro, Guillaumin e Cèzanne se consultavam com Dr. Gachet, que morava na cidade. Foi Pissarro quem convenceu Van Gogh a vir a Auvers-sur-Oise para se consultar com Dr. Gachet.

Van Gogh já tinha estado em Arles, já havia cortado o lóbulo da orelha após a desavença com Gauguin e também já havia se internado em Saint-Remy. Ele se identificou com o dr. Gachet e como não havia suportado o barulho de Paris, ficou mesmo em Auvers-sur-Oise, onde pintou vários quadros, inclusive um do médico: Portrait du Docteur Gachet.

Durante o tempo que Van Gogh passou na cidade, morou nessa casa:

Auberge Ravoux

Auvers-sur-Oise

Até hoje, a alvenaria do quarto que Van Gogh ocupou nessa casa está conforme ele o deixou. É um quarto bem pequeno. Foi nele que Van Gogh faleceu. Pena que não é possível fotografá-lo. Van Gogh ficava pouco aqui. Mesmo doente, ele saia cedo todos os dias com os cavaletes nas costas e pintava compulsivamente. É essa passagem da vida do pintor que Zadkine eterniza numa estátua que está um parque com o nome do Van Gogh, perto da estação de trem.

Auvers-sur-Oise, França

É interessante como Zadkine criou texturas na roupa do Van Gogh imitando as pinceladas do pintor. Reparem na expressão sofrida de Van Gogh. É de muita dor. Ele havia sido diagnosticado como epilético, mas acredito que ele tinha mais problemas que isso. Machado de Assis também era epilético e não teve uma vida tão conturbada como a do pintor. Sem dúvida, Van Gogh era dotado de extrema sensibilidade e creio que isso o “ajudava” a sofrer. Um dos alívios que ele buscou, como era moda na época, foi no absinto. Não é por acaso que na cidade há o…

Museu do Absinto

DSC_0654

Não pude verificar como é o museu porque estava fechado. Porém, bem próximo a esse museu está o…

DSC_0634

Também estava fechado. Em frente à entrada do Auberge Ravoux há o…

Museu Daubigny

DSC_0743

Fechado também. Tive que me contentar com o busto de Daubigny que fica próximo à igreja.

Auvers-sur-Oise, França

Por fim, visitei o principal motivo que me levou até a cidade: o túmulo de Van Gogh.

Auvers-sur-Oise

Há uma polêmica sobre a morte do pintor. Não se sabe ao certo se Van Gogh se suicidou ou se foi assassinado, vítima de uma bala perdida, mas a história oficial diz que ele deu um tiro em sua própria cabeça e morreu dois dias depois, no final de julho de 1890. Só sei de uma coisa: é muito esquisito alguém tentar se matar dando um tiro no peito, na parte lateral, embaixo do braço, e a bala sair do lado oposto na região do quadril.

Seis meses após a morte de Van Gogh também morre seu irmão Theo, que em 1914, a pedido de sua viúva, foi enterrado ao lado de Vincent. O filho do dr. Gachet, a pedido da viúva de Théo, plantou essas heras que tomaram os dois túmulos. A viúva queria que os túmulos ficassem sempre simples e bonitos, além de essa ser uma planta que os dois irmãos adoravam.

Bula: Como chegar a Auvers-sur-Oise

Não há trens diretos para Auvers-sur-Oise, mas é fácil chegar até lá. Há duas maneiras para você ir a Auvers-sur-Oise:

1) Vá até a Gare du Nord e embarque num trem para Valmondois; nesta estação, pegue um trem sentido Pontoise e desça em Auvers-sur-Oise.

2) Vá até a Gare Saint-Lazare e embarque num trem para Pontoise; nesta estação, pegue um trem sentido Creil e desça em Auvers-sur-Oise.

O trajeto pela Gare du Nord é mais curto, no segundo trem você percorrerá apenas uma estação. No trajeto pela Gare Saint-Lazare, o primeiro trem demora uns 40 minutos para chegar em Pontoise. De Pontoise a Auvers-sur-Oise são uns 15 minutos. Tanto numa opção quanto na outra, há que se considerar a espera pelos trens, que pode ser demorada em todas as estações.

Para comprar o bilhete, veja a opção I do post sobre como chegar ao Palácio de Versalhes. A diferença é que em vez de pesquisar na letra “V”, de Versailles, você buscará por “A”, de Auver-sur-Oise. O valor dos bilhetes, ida e volta, é de 11,30 euros.

Chegando em Auvers-sur-Oise, saindo da estação você já verá as placas indicativas das atrações. Não tem como errar.

Rapidinhas

Há tantos pés de maçãs e peras carregados de frutas em Auvers-sur-Oise! As frutas até apodrecem no pé e ninguém liga. Eu liguei. Ou melhor, eu comi. Experimentei maçãs de espécies diferentes, colhidas na hora, por mim mesma. Deliciosas! Essas experiências são impagáveis.

Meus pés estão tão inchados que alguns sapatos já não me servem mais. Não é fácil essa vida de pesquisadora-bibliotecária-repórter-blogueira.

Muito +

Veja o álbum fotográfico de Auvers-sur-Oise

Veja posts de cidades nos Arredores de Paris

Veja a série Parada em Paris

6 Comentários

  1. Vou a Paris em setembro e descobri que há um trem direto para Auver sur Oise, nos finais de semana. Sai da Gare du Nord. Acho que só funciona nos meses de calor. Fica a dica…

Comments are closed.