Château de Vincennes: um castelo-forte da Idade Média

0 Flares 0 Flares ×

Esse castelo foi uma verdadeira fortaleza! Ele tem fosso e tudo. Considerado o maior castelo-forte da realeza francesa ainda existente, ele foi construído  entre os séculos XIV e XVII. Quem não gosta de história, não precisa ler esse post, apenas olhe as fotos.

Inicialmente, século XII, no espaço onde hoje é o castelo havia apenas um pavilhão de caça, assim como eram os antecedentes de Versalhes.  Contudo, poucas décadas depois, o castelo se tornou uma residência real. Foi um local de chegadas e partidas : no século XIII, dois reis se casaram aqui (Philippe III e Philippe IV) e no século XIV três reis morreram aqui (Luís X, Philippe V e Charles IV). Ainda no século XVII, Philippe VI decideu construir o fosso e o donjon, torre mais alta de um castelo forte, para fortificarem o lugar.

Château de Vincennes Château de Vincennes

Clique na imagem para ampliar
Château de Vincennes

Depois de Philippe VI, Charles V também se mudou para o castelo e transformou o espaço na alta administração da França. Ele deu continuidade aos trabalhos de fortificação do castelo, iniciados por Philippe VI e acrescentou portas, torres e muralhas, terminou a Sainte-Chapelle e as construções residenciais. Como podemos ver, cada rei vai fazendo um puxadinho, assim como ocorreu com Versalhes.

Atualmente, o castelo é formado por um donjon, uma capela, pavilhão do rei e pavilhão da rainha.

Com 50 metros de altura, o donjon é um dos mais altos de toda a Europa. Eu subi até lá. Vejam o que eu vi.

Château de Vincennes, FrançaSobre a capela, há uma questão interessante: a relíquia da coroa de espinhos de Cristo era mantida em Vincennes foi transferida para a Sainte-Chapelle de Paris, conforme vimos neste post. Atualmente esta e outras relíquias religiosas estão na Catedral de Notre-Dame de Paris. Após a construção da Sainte-Chapelle de Vincennes, esta devia ter recebido um fragmento da coroa de espinhos, mas parece que Paris não enviou a Vincennes a parte que cabia a Vincennes. Quem mandou confiar?

Château de Vincennes, França

Pelo Château de Vincennes passaram pessoas muito ilustres, cada um numa situação: uns moraram, outros foram “hóspedes forçados”, outros ficaram encarcerados, outros morreram… A vida é assim mesmo. Luís XI também se instalou em Vincennes, mas não no donjon, mas nos pavilhões residenciais. François I, Luís XIII e Luís XIV foram reis que também residiram nos pavilhões quando estavam na capital. Quando Luís XIV se instalou em Vincennes, mandou o mesmo arquiteto que iria ajudar a construir o palácio de Versalhes a construir o pavilhão do Rei e o Pavilhão da Rainha. Com a mesma pompa de Versalhes, o paisagista de Versalhes, Le Notre, também andou fazendo uns trabalhos em Vincennes. Como Versalhes estava demandando muita atenção desses profissionais e Vincennes já não tinha tanto interesse para a realeza, pouco do estilo Luís XIV ficou no castelo. Ainda bem.

Voltando ao relatório, Luís XV, quando criança, também morou por uns tempos em Vincennes. No século XVI, a corte se refugiou nesse castelo, onde Charles IX, que estava ferido, morre; morreu também o cardeal de Mazarin. O rei de Navarra foi um “hóspede forçado” do castelo. Por falar em prisão, o donjon foi uma prisão do Estado para prisioneiros de alta estirpe. Fouquet, Marquês de Sade, Voltaire, Mirabeau, Diderot.

Cada um desses foi aprisionado por, de uma forma ou de outra, deixar o rei indócil. Fouquet, superintendente de finanças, enriqueceu ilicitamente e foi preso para dar o exemplo. Marquês de Sade, foi preso por escrever poemas considerados indecentes. Diderot foi encarcerado por ter escritos considerado contra a religião, e por aí vai… Vejam os desenhos que os prisioneiros faziam nas paredes da cela.

Château de Vincennes, França

A condição de residência real do Château de Vincennes acaba quando a corte se instala definitivamente em Versalhes. No século XVIII, o castelo se tornou um espaço para produção de porcelana. No final do século XVIII, o castelo foi transformado em arsenal e foram feitas construões militares que existem até hoje. Durante século XIX, coma revolução de 1848, o castelo voltou a ter a função de prisão: muitos republicanos de esquerda foram aprisionados aqui também. Atualmente, no castelo funciona o Serviço Histórico da Defesa.

Vejam um vídeo sobre o Château de Vincennes.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=R4YVtGB0dj8&w=448&h=252&hd=1]
Imagens do Château de Vincennes

Bula: como chegar ao Château de Vincennes

É facílimo ir a esse château. Você deve pegar a linha 1 (amarela) do metrô, sentido Châteu de Vincennes, e descer na estação final, que é em frente ao castelo. Como esse castelo fica na zona 2 do metrô, com um bilhete simples você chega até ele, o que significa dizer que gastará apenas 3,40 euros, ida e volta, ou 2,60 euros, ida e volta, se você tiver comprado um pacotinho de 10 bilhetes.

Rapidinhas

Nem estava nos meus planos ir a esse castelo hoje, mas fui. Chegando lá, descobri que era tudo de graça porque é o fim de semana da Journée du Patrimoine. Ainda participei de uma visita guiada nos arquivos do Serviço Histórico de Defesa. Foi aqui que fiquei grávida da ideia de pesquisa do pós-doc.

O bom de ter visitado esse castelo é que ele não tem glamour, apenas história. Assim, não atrai turista. Em dia de chuva, então, só estavam os interessados em conhecer mais sobre história.

Todas as questões sobre heráldica e armas que tenho visto por aqui, principalmente depois do Musée de l’Armée, estão me dando uma ideia para um Você Sabia?.

Muito +

Veja o post Provins: um tesouro medieval

Veja posts de outros palácios e castelos

Veja posts de cidades Arredores de Paris

Veja a série Parada em Paris