Grasse: a cidade dos perfumes

0 Flares 0 Flares ×

Fui aconselhada a visitar Grasse, “que é uma graça!”. Também fui informada que é a cidade dos perfumes. Resolvi conferir. Vejam o que eu vi.

Depois de subir, subir, subir e subir, chegamos a essa pracinha.

Onde há essa igeja, ou melhor, a…

Catedral de Notre-Dame-du-Puy

Grasse, França

Essa catedral romana foi construída no século XIII.

O corredor na lateral dela, dá acesso a um mirante, de onde temos essa vista:

A essa altura, já foi possível perceber que Grasse não é banhada pelo Mar Mediterrâneo. Isso porque ela fica afastada da costa, na mesma direção de Cannes, mas continente adentro.

Perambulando pelo centro histórico, passamos por ruas super estreitas, praticamente corredores.

Uma dessas ruazinhas conduz à…

Perfumaria Fragonard

Grasse, França

Nessa perfumaria há um museu do perfume, que conta um pouco da história do perfume, mostra alguns objetos e que tais. Também há o que chamam de “usina” e uma loja de perfumes. Interessaram-me apenas o museu e a usina, mas eu esperava mais… Na usina havia apenas objetos, destiladores…

Grasse, França

Pensei que veria o processo de fabrição, mas não. Fiquei decepcionada, mas como não cobravam a entrada, nada perdi. Já estava pensando em ir embora, quando vi do outro lado da rua o…

Museu Internacional da Perfumaria

Grasse, França

Agora sim! Esse museu é maravilhoso! Começamos aprendendo, de maneira interativa, como construimos conhecimento por meio de nossos cinco sentidos. Deepois vamos a um jardim de inverno, onde nossos sentidos são colocados à prova.

Grasse, França

Lemos sobre algumas plantas, vemos as plantas, sentimos os cheiros borrifados nos ar, ouvimos explicações… Um espetáculo!

Aprendi um montão de coisas aqui, vou tentar resumir. O hábito de perfumar o corpo começou com os egípcios, que precisavam mumificar cadáveres. Foram os romanos que começaram a adotar o uso do vidro como recipiente de perfume. Somente no século XVIII, o perfume passou a ser usado como artifício de sedução, sobretudo na França. No século XIX, por razão de saúde pública, foram feitas campanhas para que os franceses tomassem mais banhos, em vez de apenas “fazer a toalhete” (usar toalhinha molhada para limpar o corpo). Huummm… isso me elucidou muito.

Enfim, nesse museu há várias explicações sobre o hábito da higiene, ervas alucinógenas, a história do perfume no mundo e em Grasse, coleções de vidros etc. Também há um pequeno pomar de laranjas, mexiricas etc.

Grasse, França

Amei esse lugar! Ainda bem que eu fui!

Em suma, Grasse não é tão gracinha assim, considerando o contexto da região, mas é um local bastante interessante para visitar. Não me arrependi de ter vindo.

Bula: como chegar a Grasse

Considerando como base Nice, a ida até Grasse é simples e rápida. Quem não fizer o trajeto de carro, poderá ir de trem. Diariamente, há vários trens que partem da estação Nice Ville à Grasse dura cerca de 1h10, o valor do bilhete é 8,80 euros por trecho. A partir de Cannes, a viagem dura cerca de 30 minutos, e valor do bilhete é de 4,20 por trecho.

Descendo do trem, é acoselhável pegar um ônibus no ponto que fica em frente à estação, pois a subida é árdua. Se optar por subir a pé, basta você seguir as placas indicativas rumo ao centro e pegar atalhos pelas escadas. É perfeitamente possível fazer o caminho a pé, conforme eu fiz.

Rapidinhas

Estou convencida de que a Perfumaria Fragonard incentiva a visita gratuita ao museu e à usina apenas para vender perfumes. A lojinha estava lotada, mas o museu e a usina, não; mesmo porque não há muito o que ver.

Estive pensando… Será por causa do incentivo ao banho na França do século XIX que muitos pintores como Degas, Matisse e vários outros pintaram tantas banhistas?

Muito +

Veja o álbum fotográfico de Grasse

Veja outros posts da região de Côte d’Azur

Veja outros posts da região de Provence

Veja a série Parada em Paris