História das receitas: cheesecake

0 Flares 0 Flares ×

Vamos a mais uma história saborosa?

Curiosamente e ao contrário do que costuma acontecer com outras receitas, não há polêmica quanto à origem do cheesecake: todos parecem concordar que o bolo de queijo surgiu na Grécia e foi modificado pelos romanos. Devo confessar que, com esse nome, achei que fosse invenção inglesa ou americana, apesar de achar que o doce tem a cara dos franceses.

Pois bem, o cheesecake surgiu na Grécia antiga, por volta de 2000 anos a. C., na ilha de Samos. Há relatos que informam que a iguaria foi servida durante os jogos olímpicos de 776 a. C., em Delos. Isso porque o bolo era considerado uma fonte de energia. Também era tradicionalmente usada como bolo de casamento.

Com o nome que tem, é evidente que o ingrediente principal da receita é o queijo. Contudo os tipos de queijo utilizados e o acréscimo de outros ingredientes tem mudado com o passar do tempo. Quanto mais a receita se populariza pelo mundo afora, mais alterações vai sofrendo, não só por ter “interpretações” diferentes, mas porque acaba tendo que ser elaborada com produtos locais, pois os tipos de queijo variam muito e não encontramos todos em qualquer lugar.

Os gregos utilizam farinha de trigo, mel e queijo, misturavam tudo e levavam a massa ao calor (não havia forno na época) e serviam o bolo frio. 

Ao conquistarem a Grécia, os romanos também se apropriaram do cheesecake. Eles incluíram queijo picado e ovos à massa que os gregos faziam, assavam a mistura em um tijolo quente e a serviam quente. Os romanos passaram a chamar a nova iguaria de libuma ou libum e a serviam em ocasiões especiais para acalmar os deuses.

A partir dos romanos, o cheesecake se espalhou pela Europa afora. Como já disse, cada região adequava sua receita de acordo com os produtos locais. A Itália usava a ricota ou o cottage; a Alemanha e a Suécia, um queijo parecido com a coalhada. A Grã Bretanha e a Europa Oriental também fizeram suas adaptações.

Em 1545, o chef Henry VIII contribuiu com a evolução da receita num livro impresso, onde registrou a mudança de preparo: queijo em pedaços pequenos embebidos em leite por três horas, depois, adição de ovos, açúcar e manteiga. A receita virou outra.

Com o povoamento da América, os europeus que migraram para o norte deste continente levaram consigo receitas de cheesecake. Em 1872, William Lawrence, um leiteiro americano, ao tentar recriar o queijo Neufchâtel, errou a receita, inventando o cream cheese, o queijo presente na maior parte das receitas atuais.

Não sei dizer quando e quem acrescentou a base de bolacha e a geleia de frutas à receita, fazendo a iguaria parecer mais uma torta do que um bolo. Eu prefiro um bolo de ricota com cobertura de frutas. Por falar em cobertura, embora a mais famosa seja a de frutas vermelhas, qualquer cobertura está valendo. Como já disse tudo depende do que a região oferece, não apenas em termos de queijo, mas também no que se refere à frutas. Não é por acaso que no Brasil a cheesecake de goiabada é bem popular.

Viagem na gastronomia, pois a vida pode ser mais gostosa!

Muito +

Veja toda a série História das receitas 

Veja a série História das coisas