Leituras de 2016 (tudo que li)


0 Flares 0 Flares ×

Olá, pessoal!

Li menos que gostaria, porém bem mais do que imaginava ser capaz. Ainda bem!

Assim como em 2015, neste post faço um inventário das leituras realizadas em razão das promessas de leituras, dos projetos de leitura, do clube de leitura etc. Para entender o mosaico abaixo, fiz uma legenda, indicando pela cor a qual projeto ou promessa de leitura o livro pertence. Há casos em que um livro está inserido em 2 ou 3 projeto/promessa, por isso o título fica todo colorido.

Vamos conferir primeiro a legenda/mosaico, depois os títulos lidos.

  • Autores para conhecer em 2016 (ver post aqui) 
  • Desafio Livrada 2016 (Não sabe do que estou falando? Veja o vídeo aqui)
  • Grande Desafio do Culto Booktuber (Se não sabe do que estou falando, veja este vídeo)
  • Clube de leitura (Não sabe do que estou falando? Veja o post aqui)
  • Projeto leitura sobre nazismo, antissemitismo e holocausto (veja aqui todas as resenhas dos livros deste projeto)
  • Projeto 100 livros essenciais da literatura brasileira  (veja aqui a lista de livros e as resenhas das obras deste projeto)
  • Projeto 100 livros essenciais da literatura mundial  (veja aqui a lista de livros e as resenhas das obras deste projeto)
  • Projeto 100 melhores livros de todos os tempos (veja aqui a lista de livros e as resenhas das obras deste projeto)
  • Projeto O que faz o brasil, Brasil? (Não sabe do que estou falando? Veja o vídeo aqui)
  • Rescaldo dos projetos do ano anterior (Não sabe do que estou falando? Veja o vídeo aqui)
  • Livros não prometidos e sem projetos, ou seja, li porque quis.
  1. Dom Quixote, de Miguel de Cervantes (ver resenha aqui)
  2. Inocência, de Visconde de Taunay (ver resenha aqui)
  3. Estórias abensonhadas, de Mia Couto 
  4. Os meninos da rua Paulo, de Ferenc Malnor (ver resenha aqui)
  5. Mrs Dalloway, de Virgínia Woolf (ver resenha aqui)
  6. Doze contos peregrinos, de Gabriel García Márquez 
  7. A invenção de Morel, de Adolfo Bioy Casares (ver resenha aqui)
  8. Broquéis, de Cruz e Souza
  9. O jogador, de Dostoiévski (ver resenha aqui)
  10. Mitos, emblemas e sinais, de Carlo Ginzburg (ver resenha aqui)
  11. Antígona, de Sófocles (ver resenha aqui)
  12. Drácula, de Bram Stoker (ver resenha aqui)
  13. A escrava Isaura, de Bernardo Guimarães (ver resenha aqui)
  14. A redoma de vidro, de Sylvia Plath (ver resenha aqui)
  15. Iracema, de José de Alencar (ver resenha aqui)
  16. Bonsai, de Alejandro Zambra (ver resenha aqui)
  17. Lucíola, de José de Alencar (ver resenha aqui)
  18. Eneida, de Virgílio  (ver resenha aqui)
  19. O mundo de Homero, de Pierre Vidal-Naquet (ver resenha aqui)
  20. Memórias póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis (ver resenha aqui)
  21. Contos fluminenses, de Machado de Assis
  22. El Cid, de Corneille (ver resenha aqui)
  23. Angústia, de Graciliano Ramos (ver resenha aqui)
  24. Recordações do escrivão Isaías Caminha, de Lima Barreto (ver resenha aqui)
  25. Júlio César, de W. Shakespeare (ver resenha aqui)
  26. Sonhos de uma noite de verão, de W. Shakespeare (ver resenha aqui)
  27. Eu e outros poesias, de Augusto dos Anjos
  28. Le horla, de Guy de Maupassant 
  29. A arte da guerra, de Sun Tzu
  30. Bom dia, camaradas, de Ondjaki (ver resenha aqui)
  31. Quincas Borba, de Machado de Assis (ver resenha aqui)
  32. Seis personagens a procura de autor, de Luigi Pirandello (ver resenha aqui)
  33. Rascunho de família, de João A. Carrascoza
  34. Antônio e Cleópatra, de W. Shakespeare (ver resenha aqui)
  35. Dom Casmurro, de Machado de Assis (ver resenha aqui)
  36. Carta do descobrimento ao rei Dom Manuel, de Pero Vaz de Caminha
  37. O terceiro Reich, de Roberto Bolaño (ver resenha aqui)
  38. A luneta mágica, de Joaquim Manuel Macedo 
  39. O que faz o brasil, Brasil?, de Roberto DaMatta (ver resenha aqui)
  40. O leopardo, de Tomasi di Lampedusa (ver resenha aqui)
  41. Bom é o que acaba bem, de W. Shakespeare (ver resenha aqui)
  42. O médico e o monstro, de R. L. Stevenson (ver resenha aqui)
  43. A moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo (ver resenha aqui)
  44. Juca Mulato, de Minotti del Picchia 
  45. Casa de bonecas, de Henrik Ibsen (ver resenha aqui)
  46. Ressurreição, e Machado de Assis (ver resenha aqui)
  47. Contos de Alice, de Maria Alice Schuch (ver resenha aqui)
  48. Macbeth, de W. Shakespeare (ver resenha aqui)
  49. O som e a fúria, de William Faulkner (ver resenha aqui)
  50. Prometeu acorrentado, de Ésquilo (ver resenha aqui)
  51. A hora da estrela, de Clarice Lispector (ver resenha aqui)
  52. Serial e antes, de João Cabral de Melo Neto
  53. O colecionador, de John Fowles (ver resenha aqui)
  54. O rinoceronte, de Eugène Ionesco (ver resenha aqui)
  55. Crepúsculo dos ídolos, de F. Nietzsche 
  56. Amor de perdição, de Camilo Castelo Branco (ver resenha aqui)
  57. A vida privada das árvores, de Alejandro Zambra (ver resenha aqui)
  58. Projetos para o Brasil, de José Bonifácio de Andrada e Silva
  59. O banquete, de Platão/ releitura/ (ver resenha aqui)
  60. A utopia, de Thomas More
  61. Reparação, de Ian McEwan (ver resenha aqui)
  62. Muito barulho por nada, de W. Shakespeare 
  63. Aguapés, de Jhumpa Lahiri (ver resenha aqui)
  64. Esperando Godot, de Samuel Beckett (ver resenha aqui)
  65. O anticristo, de F. Nietzsche
  66. Um bonde chamado desejo, de Tenesse Williams (ver resenha aqui)
  67. Obra completa, de Murilo Rubião
  68. Estação das chuvas, José Eduardo Agualusa (ver resenha aqui)
  69. O guarani, de José de Alencar (ver resenha aqui)
  70. O vampiro de Curitiba, de Dalton Trevisan (ver resenha aqui)
  71. Ratos e homens, de John Steinbeck (ver resenha aqui)
  72. Madame Bovary, de Gustave Flaubert / releitura / (ver resenha aqui)
  73. O pai Goriot, de Balzac / releitura / (ver resenha aqui)
  74. Um copo de cólera, de Raduan Nassar (ver resenha aqui)
  75. O idiota, de F. Dostoiévski (ver resenha aqui)
  76. Iaiá Garcia, de Machado de Assis
  77. Vestido de noiva, de Nelson Rodrigues (ver resenha aqui)
  78. Poema sujo, de Ferreira Gullar 
  79. Mayombe, de Pepetela (ver resenha aqui)
  80. Medeia, de Eurípedes (ver resenha aqui)
  81. Memórias sentimentais de João Miramar, de Oswald de Andrade
  82. Clube da luta, de Chuck Palahniuk (ver resenha aqui)
  83. Quarto de despejo, de Carolina Maria de Jesus (ver resenha aqui)
  84. Críton, de Platão
  85. Frankenstein, de Mary Shelley (ver resenha aqui)
  86. Seminário dos ratos, de Lygia Fagundes Telles
  87. Felicidade clandestina, de Clarice Lispector
  88. O mercador de Veneza, de William Shakespeare (ver resenha aqui)
  89. Hamlet, de William Shakespeare /releitura/ (ver resenha aqui)
  90. As pequenas virtudes, de Natalia Ginzburg 
  91. Os irmãos Karamázov, de F. Dostoiévski /releitura/ (ver resenha aqui)
  92. O pagador de promessas, de Dias Gomes (ver resenha aqui)
  93. Demian, de Herman Hesse (ver resenha aqui)
  94. O homem do castelo alto, de Philip K. Dick (ver resenha aqui)
  95. Galvez, o imperador do Acre, de Márcio Souza (ver resenha aqui)
  96. Laranja mecânica, de Anthony Burgess (ver resenha aqui)
  97. 1984, de George Orwell (ver resenha aqui)
  98. O cristianismo primitivo, de Friedrich Engels e Rosa Luxemburgo
  99. Do amor e outros demônios, de Gabriel García Marquez (ver resenha aqui)
  100. A menina que roubava livros, de Markus Zusak (ver resenha aqui)
  101. Tratado da magia, de Giordano Bruno
  102. Bagagem, de Adélia Prado
  103. Princípios básicos do comunismo, de Friedrich Engels
  104. A legião estrangeira, de Clarice Lispector
  105. O iluminado, de Stephen King (ver resenha aqui)
  106. Admirável mundo novo, de Aldous Huxley (ver resenha aqui)
  107. Guerra e paz, de León Tolstoi (ver resenha aqui)
  108. Além do bem e do mal, de Nietzsche
  109. Energia psíquica, de Carl Jung
  110. O mal estar da civilização, de Sigmund Freud
  111. Memórias de um sargento de milícias, de Manoel Antônio de Almeida (ver resenha aqui)
  112. Hibisco roxo, de Chimamanda Ngozi Adichie (ver resenha aqui)
  113. A longa noite sem lua, de John Steinbeck (ver resenha aqui)
  114. A cidade do sol, de Campanella 
  115. Eutifron, de Platão
  116. Apologia de Sócrates, de Platão
  117. A imperatriz de ferro, de Jung Chang (ver resenha aqui)
  118. O conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas (ver resenha aqui)
  119. A noiva de Messina, de Frederich Schiller
  120. Fédon, de Platão (ver resenha aqui)
  121. Filosofia da arte, de Hippolite Taine
  122. O mito de Sísifo, de Albert Camus

  Além dos livros, li duas HQ:

  1. Os ignorantes, de Etienne Davaneau
  2. As três sombras, de Cyril Pedrosa

Eu havia me comprometido também a ler mais em outros idiomas. Dos livros que li, quase um terço está em inglês, espanhol e sobretudo francês. 

  1. Dom Quixote, de Miguel de Cervantes (espanhol)
  2. Mrs Dalloway, de Virgínia Woolf (inglês)
  3. Doze contos peregrinos, de Gabriel García Márquez (espanhol)
  4. A invenção de Morel, de Adolfo Bioy Casares (espanhol)
  5. El Cid, de Corneille (francês)
  6. Le horla, de Guy de Maupassant (francês)
  7. Esperando Godot, de Samuel Beckett (francês)
  8. Madame Bovary, de Gustave Flaubert (francês)
  9. O pai Goriot, de Balzac (francês)
  10. Do amor e outros demônios, de Gabriel García Marquez (espanhol)
  11. A longa noite sem lua, de John Steinbeck (francês)
  12. O conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas (francês)

Vejam abaixo o vídeo em que elegi os 10 melhores leituras (ficção) dentre os citados acima:

  Viaje na leitura, porque a vida real é insuficiente!

Muito +

Veja todos os projetos de leitura