O que esperar de Albert Camus

O que esperar de Camus
0 Flares 0 Flares ×

Na série O que esperar de… trato de um autor e seu contexto sócio histórico, procurando levantar elementos, fatos, que explicam sua produção. O objetivo dessa série é apresentar o contexto sócio-histórico de um autor para melhor entendermos quem fala, de onde fala, porque fala e como fala. Não é intenção abordar toda a obra do autor, mas, a partir da leitura de alguns livros dele, identificar dados de seu contexto em sua produção literária.

Considero isso importante para não cometermos anacronismo: olhar com “olhos contemporâneos” contextos longínquos e, consequentemente, bem diferentes da realidade que conhecemos. Isso porque cada pessoa é fruto de sua época, nasce num contexto social já dado e, por mais que tente, não consegue se excluir dele; por isso, sua experiência de vida impacta sua obra literária.

Dessa vez vou tratar de Albert Camus (1913-1960), francês nascido na Argélia, esse autor contribui tanto para a filosofia quanto para a literatura. Ele faz filosofia e literatura ao mesmo tempo. Formado em filosofia  e influenciado pelo existencialismo de Sartre, o autor não se contenta em apenas fazer ensaios filosóficos e produz romances e peças de teatro que abordam temas que lhes são caros: o absurdo e a revolta. Creio que alguns de seus livros atendem às essas duas questões (absurdo: Calígula, O estrangeiro, O mito de Sísifo; revolta: O homem revoltado).

Dentre as várias coisas que vou comentar, não posso deixar de falar dos livros que já li do autor, são eles:

  1. O estrangeiro (ver resenha aqui)
  2. A peste (ver resenha aqui)
  3. A queda (ver resenha aqui)
  4. Caligula (ver resenha aqui)
  5. O mito de Sísifo
  6. O homem revoltado
  7. O primeiro homem
  8. A morte feliz

Se você quiser saber mais especificamente minhas impressões e expressões sobre e seu contexto, Albert Camus assista ao vídeo abaixo.

Viagem na leitura, já que a vida real é insuficiente!

Muito +

Veja outros posts da série O que esperar de…

Veja posts de outros textos de Albert Camus

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*