Parada em Paris, n.3: Les Halles e Marais – parte I

0 Flares 0 Flares ×

Meu corpo ainda está no horário brasileiro. Estou muito cansada! Vou dormir a 1h da manhã, mas sem sono porque meu corpo pensa que são 20h. Por isso, caminhei bastante, mas não vi muitas atrações. Comecei meu passeio pelo…

Forum Les Halles

Não sabia direito o que era isso. Os mapas e guias sempre indicam esse lugar como se fosse uma grande atração. Foi até lá e encontrei um shopping center. Como não acho nenhum shopping interessante, no máximo, funcional, nem tirei foto.

Bem próximo dali, encontrei um espaço com arquitetura que destoa de todas demais em Paris:

Centre Georges Pompidou

Que lugar legal! Fui direto à biblioteca, que é enorme! Tive vontade de trabalhar aqui. Sempre tenho essa vontade quando saio do Brasil. A relação estabelecida entre do público com o espaço da biblioteca é muito diferente em outros países. Aqui, as pessoas usam e sabem para o que serve. O valor que dão ao conhecimento e à aprendizagem é muito diferente do que estamos acostumados. Pena que eu não pude tirar fotos. Era hora do almoço e todos os lugares estavam lotados. Estranhei logo na entrada, pois havia fila para entrar.

No Pompidou há muitas outras coisas, como: cinema, centro de documentação, galeria, livraria etc. Terei que voltar com calma, hoje me sinto quebrada e esse lugar merece mais de mim. Sem falar que está tendo uma exposição do Liechtenstein aqui. Preciso realmente voltar.

Andando pelas redondezas, encontrei o…

Hôtel de Ville

É a prefeitura de Paris. O prédio é enorme, com fachada renascentista! Aqui sempre há exposições de arte gratuitas. Sinto que voltarei várias vezes aqui.

Em minhas andanças, procurei pelo Museu do Picasso, mas estava fechado para reforma e apenas reabrirá na primavera de 2014, o que significa que não vou visitá-lo durante o tempo que passarei por aqui.

Continuei andando e encontrei o…

Musée Carnavalet

Olhando por fora, você não dá nada por ele. Minhas desconfianças aumentaram quando descobri que é gratuito, que permitem que fotografemos e que podemos entrar de mochila (!!!). Mas quando entrei, que surpresa! Esse museu conta a história de Paris por meio de pinturas e objetos. São três grandes andares organizados por período da história da França: Terceira república, Comuna de Paris, Período de Terror… Enfim, todos os episódios que estudamos na escola.

Além disso, há mais duas partes interessantes: uma que destaca os hábitos e os costumes franceses do início do século XX, tudo retratado em quadros; e outra parte de objetos, sobretudo aquelas molduras que antigamente usavam no lado de fora das casas (esqueci o nome disso e não quero utilizar o termo em francês para não parecer pedante). Vou mostrar por meio de foto.

Antigamente, até o século XVIII, utilizavam isso porque as casas não tinham número. Então esses ornamentos em madeira ou metal eram utilizados para identificar o proprietário. Creio que tinham a mesma finalidade dos brasões (hum… isso está me dando uma ideia para um Você sabia?). Essa prática perdurou até o começo século XX, mais por hábito do que por necessidade.

Vi ruas, monumentos e lugares que já visitei por aqui, como Montmartre, retratados em quadros, imagens do início do século XX. Muito legal! Vi imagens de personagens históricos que eu não tinha noção de como eram. A imagem que eu tinha de Danton é a de Gérard Depardieu por causa do filme com o nome do personagem.

Saindo desse museu, caminhei uns dois quarteirões até a…

Place des Vosges

Como os parisienses adoram uma praça, esta lotada de gente esparramada tomando sol, lendo, fazendo piquenique… paisagens comuns por aqui.

Em um dos quatro cantos da praça está a…

Maison de Victor Hugo

Victor Hugo morou aqui de 1832 a 1848. Aqui é feita a reconstituição da organização do espaço tal qual quando ele habitava nele. Sempre há exposições por aqui. A visita à casa é gratuita, mas o acesso às exposições temporárias é pago.

Depois dessa visita, flanei pelo Marais. Que bairro charmoso! Construções altas e ruas estreitas conduzem a gente a adoráveis surpresas. Me perdi e me achei nesses labirintos super agradáveis.

Ainda há muito para ver nessa região, por isso, o PeP, n.3 está dividido em partes.

Rapidinhas

Como o vinho é barato por aqui (pago mais ou menos 1,50 euros em meia garrafa), tomo vinho toda noite e vou dormir doce feito caramelo.

A cada dia aprendo um monte de coisas, mas acho que já me viro mais ou menos bem: ajudei uma senhora não alfabetizada a ver o preço dos produtos no supermercado (ela era estrangeira, falava um francês mais ou menos, porém número árabico é universal se a pessoa não o compreende é por falta de instrução, não por dificuldade com o idioma); ajudei uma senhorinha a comprar bilhete de metrô nos terminais automáticos; expliquei um endereço a uma moça que me pediu informação (detalhe: ela era francesa!).

Muito +

Veja os posts sobre Les Halles e Marais

Veja toda a série Parada em Paris

Veja também o álbum fotográfico de Paris

2 Comentários

  1. Carmem estou te acompanhando e crescendo um pouco mais em conhecimento com você através dos seus relatos . Foi um grande prazer em te conhecer. Deus abençoe a sua viagem e traga as suas bagagens de conhecimentos precisamos muitooo rs. Bjus

Comments are closed.