Resenha: A carne e o sangue (Mary del Priori)

0 Flares 0 Flares ×

Dessa vez trago um livro de não ficção, mas que parece um romance, não apenas pelo enredo, mas também pela forma de contar a história. Refiro-me a…

A carne e o sangue, de Mary del Priori

O enredo

O livro conta a história do triângulo amoroso entre D. Pedro I, Leopoldina e Marquesa de Santos. Desde a chegada da princesa austríaca, Maria Leopoldina, ao Brasil, sua vida foi marcada pela solidão e pelo deslocamento. Inteiramente devotada ao marido, Leopoldina se resignava à sua condição de esposa parideira e intensamente traída. O casamento com Dom Pedro se deu, obviamente, por razões políticas, mas mesmo assim ela era extremamente apaixonada por ele, conforme prescrevia a tradição católica. Ela fingia não saber das traições do marido, mantinha recato e devoção, mas o envolvimento explícito do imperador com a Marquesa de Santos foi uma afronta irreparável. Domitila, a marquesa, e sua família acumularam fortuna e títulos nobiliárquicos graças à generosidade excessiva do imperador. Dom Pedro estava profundamente apaixonado por Domitila e não escondia isso de ninguém. Em contrapartida, maltratava Leopoldina, fisicamente até, e a engravidava sempre que possível. A afronta maior ocorreu quando o imperador reconheceu uma de suas filhas com Domitila, o que fez a criança receber honras, título nobiliárquico e ir morar no palácio com a família do imperador. 

A princípio, Leopoldina é extremamente rejeitada pelos brasileiros por ser estrangeira, o que aumentou seu isolamento. No entanto, com a afrontosa relação do imperador com a Marquesa de Santos, a população ficou do lado da imperatriz, que adoecia a olhos vistos.

A narrativa

A narração é em terceira pessoa porque são registros historiográficos, com citações diretas e tudo, mas também é um relato bem próximo, humanizado, de um narrador que emite juízo de valor. É uma leitura muito agradável.

Minhas impressões e expressões

Creio que a imperatriz Leopoldina pode ser considerada uma das personagens mais sofredoras da história. O romance de Dom Pedro com a Marquesa de Santos foi muito bem registrado em suas cartas, muitas destas hilárias e ridículas.

Viagem na leitura, já que a vida real é insuficiente!

Muito +

Veja outras resenhas de livros de não ficção

Veja resenhas de literatura brasileira