Resenha: Crime e castigo (F. Dostoiévski)


0 Flares 0 Flares ×

Venho trazer mais uma obra incrível e imperdível:

Crime e castigo, de Fiódor Dostoiévski

O enredo

O jovem estudante de Direito, Raskólnikov, vive na São Petersburgo do século XIX, cidade marcada por pobreza e fome. Apesar de receber dinheiro da mãe e da irmã para seus estudos, se vê obrigada a abandonar a faculdade e mal consegue se sustentar, pois o pouco que tem acaba por doar a pessoas mais pobres que ele. Raskólnikov é intelectual, ateu, orgulhoso, altivo e, ao mesmo tempo, sensível e solidário. Havia poucos meses tinha escrito um artigo científico no qual defende a superioridade de umas pessoas em detrimento de outras, situação que as autoriza, segundo ele, a derramar sangue. O estudante se considera como uma dessas pessoas superiores e, sensibilizado pela cruel realidade que o cerca, resolve matar uma velha usurária que vivia da exploração de pessoas com dificuldades financeiras como ele. Ele mata a velha a machadadas e, embora não tivesse previsto, também mata a irmã dela, que chegou ao local do crime antes de ele ter podido fugir. A partir de então a saúde de Raskólnikov fica muito sensível, ele tem febre, delírios e desmaios. Essa situação se agrava quando o juiz de instrução, que investiga o assassinato das irmãs, fica na cola dele, pressionando e criando tensão psicológica num jogo de gato e rato.

A narrativa

O relato dessa história atende ao padrão do autor: narrador onisciente, quase invisível. A narrativa tem pontos de tensão, com personagens no limite que lembram muito encenações de teatro. Já disse antes que a narrativa de Dostoiévski não costuma ser fluida, o que acontece neste livro também.

Minhas impressões e expressões

Raskólnikov é um dos principais tipos representados por Dostoévski: o homem cindido, dividido entre uma teoria racional e suas consequências emocionais não previstas. Nessa mesma linha, temos Ivan Karamázov, de Os irmãos Karamázov e o personagem principal de Memórias do subsolo

Se quiser saber minhas impressões  e expressões mais detalhadas sobre essa história, assista ao vídeo abaixo.

Viagem na leitura, já que a vida real é insuficiente!

Muito +

Veja outras resenhas de textos de Dostoiévski

Veja outras resenhas de literatura russa