Resenha: Demian (Herman Hesse)

0 Flares 0 Flares ×

 Dessa vez li um autor que ainda não conhecia, mas sei que muito bem conceituado. Com vocês: 

Demian, de Herman Hesse

O enredo

Sinclair é um garoto de classe média que, pela vontade de ser aceito pelos outros garotos, mente e se mente em confusão com um colega de escola. Sua situação lhe parece tão insolúvel e complexa que ele fica doente. Essa situação se arrasta por dias, até que ele conhece Demian, um garoto misterioso, tanto de aparência quanto de comportamento, que o tira de sua situação complicada. Demian passa a ser uma referência para Sinclair que, a partir dos ensinamentos daquele muda sua percepção a respeito da religião e vários outros assuntos. O tempo vai passando, Sinclair vai crescendo, vai para faculdade, mas sua formação é pontuada pela influência de Demian, que mesmo longe é grande referência para Sinclair, que sempre está buscando algo, mas não é uma busca exatamente religiosa, mas espiritual.

A narrativa

O texto é narrado em primeira pessoa por Sinclair, o que nos torna mais próximos do personagem principal e nos faz compreender melhor suas angústias e aspirações.

Minhas impressões e expressões

É um romance de formação que marca a busca espiritual de um jovem. É muito clara a influência de Nietzsche na obra. Herman Hesse ficou muito impressionado com este filósofo. Também percebemos a influência de Freud nas inferências dos personagens. Gostei da obra. Vale a pena. 

Viagem na leitura, já que a vida real é insuficiente!

Muito +

Veja outras resenhas de literatura alemã