Resenha: Medeia (Eurípedes)

0 Flares 0 Flares ×

Venho tratar de uma peça famosíssima e também terrível. Vejam um pouco de…

Medeia, de Eurípedes

O enredo

Medeia está enfurecida com Jasão por este se casar com Glauce, filha do rei Creonte, de Corinto. Já imaginando que Medeia pretende se vingar, Jasão planeja exilá-la, mas ela pede adiamento dessa decisão, e ele concede. Ele explica que lhe foi infiel e a trocou por outra porque ela, Medeia é uma bárbara, e o casamento com uma princesa foi uma oportunidade. Ele ainda promete, futuramente, manter Medeia como amante. Medeia encontra Egeu, rei de Atenas, que reclama não conseguir ter filhos, ela, que é famosa por manipular poções e venenos, promete a ele curar sua fertilidade se ele a aceitar em Atenas. Ele concorda sem saber da vingança que ela está planejando: envenenar Glauce e seu pai e matar os próprios filhos, único modo de atingir Jasão. Ela se faz de arrependida e convence Jasão a deixar os filhos levar um presente a Glauce: um manto e uma coroa envenenados. Glauce recebe os presentes e os coloca e é atingida por fogo, o pai dela ao tentar salvá-la também morre. Com intento de causar a Jasão a maior dor possível, Medeia assassina os filhos a facadas. Ao descobrir, Jasão senti uma dor insuportável, Medeia ri e foge para Atenas numa carruagem.

A narrativa

 É uma peça de teatro, logo, o texto é elaborado em discurso direto.

Minhas impressões e expressões

Estou para ver personagem mais sádica do que essa, hein? Que mulher terrível! O mais espantoso é que ela foge. O mais impressionante é que Medeia assassinou os filhos não num ato de loucura, mas de maneira fria e premeditada. Que medo! Estava esperando que ela morresse também, já que é uma tragédia.

Viagem na leitura, já que a vida real é insuficiente!

Muito +

Veja mais resenhas de literatura grega