Resenha: O filho de mil homens (Valter Hugo Mãe)

0 Flares 0 Flares ×

 Inauguro a leitura de um novo autor nesse blog. Dos quatro livros que tenho desse autor, resolvi começar a conhecê-lo por…

O filho de mil homens, de Valter Hugo Mãe

O enredo

O pescador Crisóstomo tem 40 anos e sonho em ser pai, até que um dia aparece um órfão em sua vida.

A anã vive sozinha em sua casa, mas está cercada por vizinhas que, numa bondade perversa sempre tentam ajudá-la: tratavam-na por “coitadinha para que ela fosse uma coitadinha e nada mais do que isso”. A anã fica grávida, e a indignação toma conta das “amigas”: como uma coitadinha pode ter se dado ao desfrute e estar com um homem? Pior do que isso era não saber quem era o pai, pois havia umas 15 possibilidades. A questão vira um problema social e conjugal, pois alguns maridos andaram pulando a cerca.

Isaura super reprimida pelos pais, que tentam pressioná-la a manter a virgindade, mas ela namora e o namorado a pressiona para o contrário. Isaura cede aos avanços do namorado, que depois do feito não quis mais nada com ela. Esse acontecimento isolou Isaura da família e da vida; ela passou a conduzir os restos de si mesma sem achar graça nenhuma em mais nada.

Matilde tem um filho maricas que sofre por sua condição, é vítima de muitos preconceitos e causa muitas angústias à mãe.

A empregada de Matilde, que tem uma filhinha, desperta o interesse num velho que quer se casar para não terminar seus dias sozinho. Para essa empregada, o casamento é um bom negócio e aceita a proposto, mas algo acontece no dia do casamento, alterando a vida das pessoas próximas à noiva.

Todas essas histórias se desenrolam de maneira independente até certo ponto do livro, depois elas vão se entrelaçando, se completando e se curando.

A narrativa

O texto é narrado em terceira pessoa por um narrador onisciente, mas que se faz presente pela forma poética com que narra e pela forma como perscruta a alma e o caráter das personagens. A forma independente de cada história, até certo ponto, faz parecer um livro de contos.

Minhas impressões e expressões

Adorei o livro! Não esperava tanto assim. O autor trata de solidão, preconceito, crueldade e, sobretudo, de amor. Lindo!

Viagem na leitura, já que a vida real é insuficiente!

Muito +

Veja mais resenhas de literatura portuguesa