Resenha: Prometeu acorrentado (Ésquilo)

0 Flares 0 Flares ×

 Como adoro mitologia grega, trago uma peça de teatro baseada em uma. Refiro-me a…

Prometeu acorrentado, de Ésquilo

O enredo

Prometeu está sendo acorrentado por Hefesto junto a um rochedo, o monte Cáucaso. Além de acorrentado, ele será atacado por uma águia todos os dias que comerá um pedaço de seu fígado, que se regenerará e será comido novamente. Como Prometeu é imortal, seu sofrimento será eterno. A todos que vão conversar com ele, Prometeu reclama da injustiça de Zeus e fica cheio de mimimi.

A narrativa

É uma peça de teatro, logo, composta por diálogos.

Minhas impressões e expressões

Essa peça faz parte de uma trilogia de Ésquilo (Prometeu acorrentado, Prometeu libertado, Prometeu portador do fogo), mas somente essa sobreviveu ao passar do tempo. Fica evidente que essa peça não dá conta do mito em sua totalidade, pois não temos o início da história e nem suas consequências. É provável que as outras duas peças perdidas tratavam dessas outras partes da história.

É curioso como Zeus é apresentado como um tirano nessa peça. Já sabemos que os deuses da Antiguidade Clássica eram bem vingativos, mas Zeus é o deus dos deuses de quem se espera justiça.

Viagem na leitura, já que a vida real é insuficiente!

Muito +

Veja mais resenhas de literatura grega

2 Comentários

Comments are closed.