Resenha: O vampiro de Curitiba (Dalton Trevisan)

0 Flares 0 Flares ×

Venho falar de um livro bem curioso, diferente do que estou acostumada. Com vocês:

O vampiro de Curitiba, de Dalton Trevisan

O enredo

Nelsinho é o protagonista dessa história, e a cada capítulo é narrada uma aventura sexual com uma mulher diferente e em momentos diferentes da vida dele. É por isso que ele é vampiro. A cada capítulo é abordado como se fosse um take de filme em close-up, boa parte das vezes; dizendo de outra forma: é apenas o encontro sexual, com enfoque nas preliminares. Há um capítulo que trata de estupro coletivo e Nelsinho é um dos estupradores. Pesado.

A narrativa

O relato é feito em terceira pessoa por um narrador onisciente. Os capítulos não tem ordem cronológica, de modo que não há encadeamento entre eles. Cada capítulo poderia ser um conto, pois a única coisa que eles têm em comum são o personagem principal e a temática, que é sexo. O ritmo da narrativa é acelerado, mas como o tema é sempre o mesmo, não nos perdemos.

Minhas impressões e expressões

A narrativa é bem diferente do que estou acostumada, mas muito boa. Interessante é que o autor apresenta temas pesados como o estupro, mas sem nenhum juízo de valor, apenas mostra os fatos.

Viagem na leitura, já que a vida real é insuficiente!

Muito +

Veja outras resenhas de literatura brasileira