Santuário de Aparecida: grandiosidade e beleza

0 Flares 0 Flares ×

Boa parte das pessoas que vivem em São Paulo já foi pelo menos uma vez ao Santuário de Aparecida ou, como é popularmente conhecido, Aparecida do Norte. Eu mesma fui várias vezes, é uma das lembranças de minha infância. Como havia muito tempo desde que tinha visitado o santuário pela última vez, resolvi fazer nova visita, já que estava pela região do Vale do Paraíba. Percebi muitas mudanças e fiquei positivamente impressionada. Vocês também vão ficar.

DSC_0649

Esse Santuário é enorme! O maior que já vi (e olhem que já fui em vários; no final deste post vocês verão outros nos posts relacionados). É tão grande que ainda não está totalmente concluído, embora a pedra fundamental tenha sido lançada em 1946, e as obras iniciadas na década de 1950. Na ocasião das comemorações do 250º aniversário do encontro da imagem no Rio Paraíba do Sul (contarei essa história logo abaixo), em 15 de agosto de 1967, ocorreu a inauguração do templo, mesmo  inacabado, pelo Papa Paulo VI, representado por um legado especial do Vaticano.

Antes de falar um pouco mais sobre o Santuário, creio ser necessário entender melhor a história de Nossa Senhora Aparecida. 

Tudo começou quando Dom Pedro de Almeida, o conde de Assumar e governante da Capitania de São Paulo e Minas de Ouro, precisou fazer uma viagem até Vila Rica e passou pela até então Vila de Guaratinguetá. Isso foi em outubro de 1717. Alvoroçada para agradar pessoa tão importante, a população quis fazer um festão para a autoridade. Festão no interior significa comida farta, mas não era temporada de pesca, e os peixes eram a fartura da qual os locais poderiam lançar mão. Mesmo assim, os pescadores tentaram  uma pesquinha no Rio Paraíba do Sul.

DSC_0683

Nada de peixe. Sem trocadilhos. Depois de muita peleja, os pescadores rezaram para a Virgem Maria pedindo ajuda. Desceram o rio até o Porto Itaguaçu e, quando já estavam pensando em desistir, um dos pescadores jogou sua rede novamente e, em vez de peixes, apanhou o corpo de uma imagem de Nossa Senhora sem a cabeça. Ao lançar a rede novamente, conseguiu apanhar a cabeça da imagem, que foi envolvida em um lenço.

Na imagem abaixo, vemos uma escultura recente, de 2003, representando essa passagem.

DSC_0604

Com esse acontecimento e no decorrer dos anos, o local passou a ser alvo de peregrinação, foi construída uma capela para a imagem da Virgem e Aparecida emancipou-se de Guaratinguetá, tornando-se vila e depois cidade.

Em 1904, a imagem foi coroada pelo Papa Pio X com o título de Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Foi consagrada padroeira do Brasil em 1930 pelo Papa Pio XI. Na época do 250º aniversário do encontro da imagem, o Papa Paulo VI ofertou o título da “Rosa de Ouro”, uma condecoração papal símbolo de distinção entre os beatos.

A Basílica foi consagrada oficialmente à Nossa Senhora da Conceição Aparecida em julho de 1980 pelo Papa João Paulo II. Em 18 de março de 2007, a Basílica recebeu sua segunda Rosa de Ouro, abençoada pelo Papa Bento XVI. Em 2013, o Papa Francisco fez visita à Basílica em sua passagem por aqui durante a XXVIII Jornada Mundial da Juventude.

Pronto! Já fiz todo o histórico. Agora, vamos ao templo e à sua estrutura. Em estilo neorromânico, é uma arquitetura realmente monumental, vejam um pouco da parte externa.

DSC_0642 DSC_0631
DSC_0644 DSC_0670
DSC_0674 DSC_0676

Esta é a parte da frente do santuário. Estão vendo os corredores compostos por arcos? Eles seguem pelas laterais da entrada, formando um meio arco.

DSC_0664

Percebam que o meio arco em cada lateral da entrada lembram os da Basílica de São Pedro, no Vaticano. Essa parte da Basílica foi construída mais recentemente, em 2011. 

DSC_0662

Sobretudo pelas esculturas de apóstolos na parte de cima deles. 

DSC_0675

Vejam algumas esculturas em detalhe, em sentido horário: São Tiago Maior, São Simão, São Tomé e Santo André.

DSC_0668 DSC_0667
DSC_0666 DSC_0665

 Vocês perceberam uma torre nas imagens iniciais deste post? Vejam ela mais de perto:

DSC_0605

Aquele andar acima do relógio e abaixo da cruz é o 16º, um mirante de onde temos uma vista fabulosa da cidade e até mesmo do santuário. Vejam! 

DSC_0636 DSC_0639
DSC_0637 DSC_0635
DSC_0633 DSC_0634

Nos primeiro e segundo andares da torre funciona um museu misto. Misto? Sim, pois é meio de arte sacra meio antropológico, histórico. Há lá uma série de imagens da nossa senhora, objetos de escavação, jóias etc. Pena que não é permitido fotografar.

Agora, vamos ver um pouco da parte interior da Basílica. A imagem abaixo, parece pequena, mas não é. Para terem uma ideia, está no teto da torre central abobadada. Voltem à primeira imagem deste texto e tenham ideia da dimensão dessa abóboda, é a segunda torre maior da imagem. 

DSC_0616

Bem embaixo dessa imagem, está o altar, de onde é proferida a missa. É um altar diferente de tudo que eu já vi, pois se prestarem atenção na construção (voltem às imagens iniciais), da torre central abobada saem quatro grandes alas, locais que, costumeiramente, são repletos de fiéis. Como estava tendo missa, não tirei foto do altar. Nunca vi um altar no centro da igreja. 

Abaixo estão algumas imagens da recente decoração da Basílica que, por ser gigante, é decorada aos poucos e ainda está inacabada. Ainda assim é uma lindeza.

DSC_0612 DSC_0611
DSC_0614 DSC_0610
DSC_0615 DSC_0609

Atrás da quarta imagem (em sentido horário) dessas acima está a imagem de Nossa Senhora que foi encontrada pelos pescadores.

Fiz poucas fotos do interior da Basílica porque, como já disse, estava tendo missa. É por isso também que as imagens não estão bem enquadradas. Foi o que deu para fazer.

Não há como negar que o Santuário é muitíssimo bem estruturado. No subsolo, há um espaço que comumente é conhecido como “sala dos votos”, mas aqui é sala das promessas. 

DSC_0617

Fiquei impressionada positivamente com o local, que não se parece com uma sala de votos tradicional, mas com um museu. Acho que foi por isso que tem esse nome. Reparem no teto da imagem abaixo. Sabem o que é?

DSC_0619

 Fotos, fotos e mais fotos.

DSC_0618

 O espaço é repleto de expositores organizados por tipo de material. Vejam abaixo alguns exemplos.

DSC_0630 DSC_0621
DSC_0629 DSC_0628
DSC_0627 DSC_0626
DSC_0625 DSC_0624
DSC_0623 DSC_0622

Há um expositor repleto de objetos doados por famosos, como uma camisa autografada de Ronaldo, o vestido da miss Brasil Natália Rodrigues e um capacete de Ayrton Senna.

DSC_0620

 Outro espaço também bem organizado e grande é a capela das velas.

DSC_0679

 Do lado externo também há beleza e organização. Percebam que tudo é bem limpo e ajardinado. 

DSC_0640

Estão vendo aquela cruz lá em cima? Não na imagem acima, mas na abaixo.

DSC_0677

É o cruzeiro, local próximo de onde a imagem de Nossa Senhora foi encontrada. Quis vê-lo mais de perto, por isso, atravessei a famosa e interminável passarela. 

DSC_0643

 Até que consegui capturar esta imagem: 

DSC_0661

Não fui até o cruzeiro, pois a forma mais prática de fazer isso é por meio de bondinhos, veja-os na imagem acima, mas achei caro pagar R$24,00 (bondinho + subida à base do cruzeiro) . Esses bondinhos saem do Santuário.

Contudo, mais interessante que o cruzeiro, atravessar aquela passarela nos possibilita a acessar a Basílica Velha.

DSC_0655

A Basílica nova, que vimos anteriormente, é a terceira igreja construída para a Nossa Senhora. A primeira foi bem simplesinha, iniciada em 1741 e inaugurada a 26 de julho de 1745; a segunda foi iniciada em 1844 e inaugurada em 24 de junho de 1888, que é essa da imagem acima, a Basílica Velha. Por dentro ela ainda está bem bonita e conservada. Vejam:

DSC_0657

Estão vendo aquele pequeno oratório abaixo da cruz no centro do altar? É esta imagem aqui, ó:

DSC_0659

Percebam a rede e os peixes atrás da imagem. Minha câmera não conseguiu captar a real beleza  da imagem. Pena.

Sendo católico ou não, cristão ou não, visite o Santuário de Aparecida. Se não for por razões religiosas, que seja pela arquitetura, pela beleza e pela sensibilidade à fé dos outros. É algo realmente bonito de se ver.

Ainda não pesquisei a tipologia dos santos, hierarquia religiosa e outros que tais (isso poderá ser tema de um Você Sabia?), mas sei que a Nossa Senhora Aparecida não é considerada uma santa, mas uma aparição da Virgem Maria, como ocorre com Nossa Senhora de Fátima e Nossa Senhora de Lourdes. Creio que para ser santo é necessário uma vida terrena de benfeitorias e milagres. Quando entender melhor tudo isso, contarei a vocês.